Son Lux- “Dangerous”

Faz algum tempo que não ouvimos falar  do trio Son Lux, o projeto experimental de Ryan Lott, mas foi anunciado que neste ano o trio lançará o EP Remedy,  com mais canções experimentando com batidas eletrônicas e texturas do modo único que o projeto faz. Remedy foi uma resposta em canções à eleição de Donald Trump e retrata a atmosfera de medo e incerteza, além de reverter fundos da canção para a associação Southern Poverty Law Center, que combate a intolerância nos Estados Unidos.

Junto com o anúncio, Son Lux liberou a faixa “Dangerous”, primeira faixa que começa orgânica e experimenta com sons mais eletrônicos e se transforma no final da canção. Cordas fazem um trabalho fantástico em colocar o ouvinte em um lugar mais vulnerável e em estado de alerta. Confira, então, “Dangerous”:

Publicado em Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Oh Wonder- “Ultralife”

O duo Oh Wonder, composto por Josephine Vander Gucht e Anthony West,  anunciaram recentemente novo álbum e um novo single. “Ultralife” não só dá nome ao novo trabalho da dupla que trabalha bem o eletropop, mas também é o título da primeira canção do segundo álbum.

Com um clipe colorido e positivo, “Ultralife”, mostra diversas situações de superação e surpresa com vários elementos surreais e criativos no meio do caminho, servindo para ilustrar a mensagem de aproveitar a vida com os vocais mesclados e o som eletro e pra cima da dupla. Confira, então, “Ultralife”:

Publicado em Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Descoberta da Semana: SHELLS

A descoberta da semana tem nome de ser uma banda, mas não: SHELLS é o projeto de uma cantora que pode ter lançado somente 4 canções até agora, mas mostrou a força de seu eletropop bem estruturado, um pouco minimalista, e da potência e interpretação de sua voz.

Com um EP lançado, Shapes (2016) a cantora está recebendo destaque na imprensa inglesa e até abrindo para bandas como The Naked and The Famous. No momento SHELLS está em turnê, mas tudo indica que novo material da cantora está à caminho. Confira a canção “Jailbird” com uma atmosfera bem dreamy a delicada, além do vozeirão e interpretação:

Publicado em Descoberta da Semana, Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

O Terno- “Volta” (vídeo)

Explorando o Brasil e o mundo o power trio O Terno tem recolhido os frutos do último álbum Melhor do Que Parece,  e tem excursionado pelo Norte e Nordeste do Brasil além de terem visitado  a Europa no ano passado, onde aproveitaram para gravar o clipe de “Volta”.

Em uma baita rua inclinada pelos arredores de Lisboa, Tim Bernardes pega seu violão e vai subindo a ladeira, sem desafinar, passando por crianças, o comércio local e até mesmo pelos outros integrantes da banda. O registro foi feito por Felipe Arrojo Poroger. Confiram então o feito de Tim Bernardes no clipe:

Publicado em Brasil, Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Feist- “Pleasure” (vídeo)

Feist mal anunciou o novo álbum Pleasure, com a canção “Century” (com participação de Jarvis Cocker) e a canção que dá nome ao álbum, “Pleasure”, e já recebemos mais uma boa notícia da cantora: um vídeo.

O vídeo de “Pleasure” foi dirigido por Mary Rozzi e tem uma ideia bem simples: Feist canta para um espelho distorcido e vemos sua imagem, ora maior ora menor, em um take só, de acordo com a performance que a cantora faz perante ao espelho. Como uma imagem em água, às vezes conseguimos ver Mary filmando a cantora e uma Feist bem feliz. Confira “Pleasure”:

Publicado em Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Descoberta da Semana: Reverendo Frankenstein

A descoberta desta semana é brasileira: Reverendo Frankenstein, do grande ABC de São Paulo, e faz um rock com várias influências amarradas,assim como um Frankenstein,  incluindo rockabilly, surf rock e punk mais uma pitada de humor negro nas letras, e aquela atmosfera meio sombria e divertida ao mesmo tempo.

Os reverendos começaram a juntar os sons em 2012 e tem na bagagem um EP Lado Escuro (2014) e um álbum Está Vivo! Está Vivo! lançado ano passado que traz com mais detalhes a versatilidade da banda no rock and roll. As letras também são bem divertidas e podem te render umas boas risadas. Confira a canção “Lado Escuro” do EP de mesmo nome:

Publicado em Descoberta da Semana, Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Feist- “Century”

Faz um tempo que não escutávamos algo de Feist, mas a cantora canadense anunciou que ainda neste ano lançará o álbum Pleasure, além de lançar a faixa título com o mesmo nome. O segundo single anunciado desta fase é a canção “Century”.

Com uma atmosfera bem voltada aos anos 90, com um baixo  marcante e bem ritmado, além de um vocal com bastante atitude, Feist surpreende não só no estilo de canção (que está na mesma vibração de “Pleasure”) mas também com a participação de Jarvis Cocker (vocal do Pulp) que faz um monólogo no final da canção. Ficamos assim com “Century”, confira:

Publicado em Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Descoberta da Semana: Rolling Blackouts Coastal Fever

A descoberta da semana vem de Melbourne, Australia, com um som rock com alguns toques de Surf rock  e indie- Rolling Blackouts Coastal Fever, acabou de lançar um EP French Press, e já tem no currículo o álbum Talk Tight (2016), que ganhou boas resenhas da imprensa australiana e internacional.

Um surf pop com guitarras afiadas e o interessante fato dos integrantes dividirem os vocais ( com exceção do baterista) mostra que as canções são sempre versáteis e mudam de acordo com o vocal e com o compositor, mesmo assim, a banda consegue manter a unidade do som. Escolhemos a canção “Julie’s Place” e a odisseia para cortar a grama e o som gostoso da banda, confira:

Publicado em Descoberta da Semana, Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Fernanda Takai- “Partida” (vídeo)

Sempre fofíssima, mostrando o melhor de seu universo bem criativo, Fernanda Takai lançou um clipe que também conta como divulgação de seu DVD e álbum ao vivo  Na Medida do Impossível Ao Vivo No Inhotim e a faixa escolhida foi a canção que abre o show: “Partida”, uma das poucas canções compostas somente pela Takai.

Quanto ao clipe, entramos no mundo mágico de Takai, que explora florestas, defende prédios/castelos, entra em labirintos, algumas vezes na companhia de um urso e a presença de um guarda-sol vermelho ( os dois presentes na capa de A Medida do Impossível ). A direção/ produção fica por conta de Árvore Filmes, confira “Partida”:

Publicado em Brasil, Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

The Genius Buddha Band- “Nobody Gives a Shit”

Uma das nossas descobertas da semana, a banda The Genius Buddha Band, lançou recentemente a faixa “Nobody Gives A Shit”, uma das canções do EP novo do quarteto sueco de nome A Random Dude Called Demo Jason. que já está liberada no Spotify.

A canção tem uma pegada mais calma principalmente nos vocais e na melodia mais arrastada, mas com uma bela participação da bateria e guitarra e um baixo mais forte nos refrões, além de mostrar uma face mais melancólica e menos agitada da banda. Confira “Nobody Gives a Shit” e confira o EP A Random Dude Called Demo Jason  no Spotify:

Publicado em Deveria ser mainstream, Indie | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário