Eric Hutchinson- Easy Street

Artista: Eric Hutchinson
Álbum: Easy Street
Gravadora: Independente
Lançamento: Agosto/ 2016

Eric Hutchinson pode não ser muito conhecido pelo meio musical mainstream, como o próprio brincou na divulgação deste álbum que estamos analisando, ao entrevistar pessoas na rua se conhecia o tal cantor. Mas  Eric é bem talentoso e faz um pop bem inteligente, com letras sarcásticas com uma grande dose de humor desde o primeiro álbum Sounds Like This (2008), lançado independentemente após ver sua gravadora fechar, e onde Hutchinson encontrou um belo lugar no cenário pop indie. Logo vieram Living Up Moving Down (2012) com a mesma pegada de letras sarcástica com ótimo pop e Pure Fiction (2013) em que há experimentação com sons mais eletrônicos e também um pouco mais comercial.

Em Easy Street, Eric Hutchinson volta a ser independente. Sem a gravadora por trás de seu trabalho, o cantor teve mais liberdade para trabalhar em suas canções, sendo que escreveu e produziu o álbum inteiro. Na época que Eric produziu o álbum, também estava esperando o resultado de uma doença genética que seu pai teve quado tinha a mesma idade- o que refletiu em algumas canções, mais intensamente o primeiro single “Anyone Who Knows Me”. Escutamos  então Easy Street e fizemos a resenha faixa a faixa a seguir:

13700081_10154167861316140_3026692914711128080_n

1 Dear Me// “Dear me, you’ll be older one day/ I’m writing from the future and you’re doing ok”

Começando o álbum com uma baita ideia para letras, Eric, escreve domo se estivesse no futuro para o seu presente “eu”. Mais uma vez, com uma melodia bem energética com ponto mais altos no refrão, a canção inclui saxofone, piano e backing vocals. Um pop bem feito e contagioso.

2 Good Rhythm// “Good Rhythm really don’t care/ I can take the elevator and  you can take the stairs”

Com uma pegada mais R&B e com vocais acelerados, “Good Rhythm” realmente tem um bom ritmo e boa pegada com ótima percussão e batidas, gaita e participação de  G. Love. Um bridge lembra bastante os bridges de Destiny´s Child nos anos 00, mas o principal, além da acelerada dos versos está no jam de sons no meio da canção com cada intrumento aparecendo em momentos pontuais e dando um toque especial para a canção. Provavelmente vai ser um dos próximos singles, e com razão.

3 Anyone Who Knows Me// “Anyone who knows me/ Knows you don’t know me  at all/ Any love that”s good come easily”

A canção que é o primeiro single de Easy Street, começa com um piano em uma balada que recebe batidas eletrônicas e um backing vocal poderoso no refrão. As letras falam sobre desencontros de amor e como se recuperar. O refrão arrebatador mostra a força da canção e o porque de ser o primeiro single.

4 Lost In Paradise//“Oh I/ I don’t know why/ Everything wrong goes right/ When I’m lost/ When I’m lost, lost in paradise”

Eric Hutchinson volta com um ritmo mais voltado ao reggae, característica já vista desde o primeiro álbum do cantor também recheado de instrumentos e batida eletrônica que conversa bem com a canção e com o tom leve. As letras abordam quando tudo dá certo quando estamos de férias e tudo dá certo e então você cogita ideia de mudar para o tal paraíso.

5 Alcatraz//“Driving all night to Alcatraz”

Com eletrônico mais incorporado na canção com um piano levando a um refrão bem agitado, Eric fala de sua read trip para visitar sua amada e tentar recuperá-la em Alcatraz. A canção é um pop decente, mas com um refrão fraco e muita produção desnecessária,  mas deve ficar bem melhor ao vivo com um piano e violão.

6 American Princess //“Not everyone loves you/ American princess”

Mais uma canção tirando sarro, desta vez de celebridades, Eric fala de uma garota que saiu do interior dos Estados Unidos (Midwest) para fazer sucesso no Japão, mas desconsiderando o seu passado. A canção usa bem sintetizadores e tem uma guitarra esperta trazendo um pouco de rock and roll pra canção.

7 Bored To Death// “I don’t go out, prefer to stare at my phone/ Afraid of what I might be missing at home”

Com batidas  junto com um ritmo de piano esperto (marca registrada de Eric Hutchinson), a canção vai ganhando elementos sonoros como backing vocals e um sintetizador acompanhando as batidas.  Quanto às letras, Eric mais uma vez faz uma ótima crítica à sociedade atual que prefere olhar a tela do celular do que sair e socializar. Um dos pontos altos do álbum trazendo  todo o toque de Hutchinson para a canção.

8 Same Old Thing// “I’m getting tired of the same old thing/ Cause the same old thing is just old”

A faixa que encerra o álbum na parte de material novo, tem a mesma vibe humorística com letras que abordam  a chatice do dia-a-dia com um bom sarcasmo tudo em um ritmo agitado (com uma ótimo piano). O refrão é só o ponto mais baixo da canção com a mesma frase repetida três vezes e um final bem óbvio, porém, os versos e a melodia compensam- já que tem até um riff esperto de guitarra lá pro final.

Easy Street traz algumas ótimas canções com grande potencial te singles como a balada “Anyone Who Knows Me”, que leva consigo uma história do autor,  “Good Rhythm” com um astral e energia ótimas para festas e usando vários instrumentos e ótimas letras e ainda com a participação de G Love. Há também canções mais old school, com características de Sounds Like This, como “Bored To Death” e “Same Old Thing” ; e outras canções com uso de sintetizadores com vibe mais de pop moderno, como “Alcatraz”, “American Princess”e “Lost In Paradise”.

Eric Hutchinson conseguiu oferecer um álbum  bom mas, em alguns momentos, peca pelo excesso de produção, principalmente o uso de sintetizadores e um coral grande e impactante (o que é ótimo, mas em alguns pontos não funcionou); alguns refrões também foram bem simples sem muitas rimas. O ponto mais alto estão exatamente nas canções em que ele manteve simples: sem coro, relembrando o tempo do primeiro álbum, e logicamente, dando mais atenção para as letras hilárias que com certeza tomam uma atenção especial (“American Princess” ,”Same Old Thing” “Bored To Death”, “Dear Me”e “Anyone Who Knows Me” são ótimos exemplos de como a sofisticação e humor de sua escrita ainda permanecem intactos) . As canções mais sofisticadas também dão certo ás vezes como “Dear me” e “Good Rhythm” e a balada “Anyone Who Knows Me”. Easy Street já vale a pena por ter tanta alma de Hutchinson, suas letras e seus sons…bem melhor que alguns álbuns de pop por aí.