Laura Marling- Song For Our Daughter

Artista: Laura Marling
Álbum: Song For Our Daughter
Gravadora: Chrysalis Partisan
Lançamento:Abril/2020

Há 10 anos, Laura Marling nos presenteava com seu segundo álbum de estúdio, I Speak Because I Can (2010), álbum que mostrava uma maturidade enorme da garota de 20 anos, não só com as suas narrativas vivas em suas letras, mas também experimentando com técnicas de violão que tornaram suas canções deste álbum sensíveis com melodias que transmitiam e reforçavam as mensagens da canção. A cada álbum que Laura Marling trouxe nesta última década, nuances do universo feminino juntamente com a exploração diferentes técnicas de violão, foram apresentadas em belos trabalhos- e em Song For Our Daughter, não foi diferente.

De acordo com Marling, Song For Our Daughter é uma carta de amor para uma filha imaginária, “uma garota” como diz a cantora, que também pode ser interpretada como a garota de infância que vive em todas as mulheres, e como encarar traumas que mulheres vivem na sociedade. Primeiro álbum da cantora com o novo selo Chrysalis Partisan, nós dedicamos um tempo para ouvir Song For Our Daughter e à seguir estão nossas impressões faixa a faixa.

1 Alexandra// “I need to know/Where did Alexandra go?”

Inspirada como uma resposta para a faixa “Alexandra Leaving” de Leonard Cohen, Laura Marling descreve então Alexandra como uma mulher livre e sugere que ela coleciona homens ( Ela encontra diamantes nos ralos/ mais um diamante para seu colar) e measmo assim deseja saber o que aconteceu com o personagem e se há algum tipo de conselho para outras mulheres. Com um violão presente e um belo e discreto baixo, a canção brilha com os vocais em background e de Laura Marling.

2 Held Down// “I woke up, it was four in the morning/Clear as all hell that you’d already gone”

O primeiro single do álbum, “Held Down”, veio de surpresa e não desapontou. Com violões abertos, uma percussão e backing vocals ricos e bem utilizados nas palavras finais de cada verso. Com letras sobre um relacionamento em que uma das partes foge, e Laura reflete sobre as idas e vindas e os sentimentos não ditos na relação. Mesmo assim, Laura oferece uma canção solar.

3 Strange Girl// “Build yourself a garden and have something to attend/Cut off all relations ‘cause you could not stand your friends”

Com violões agitados e persussão acompanhando o ritmo, Laura Marling descreve mais uma garota, ou talvez uma versãoque tem  de sí mesma quando mais jovem.  Sem fugir dos defeitos e das armadilhas identitárias da juventude, Marling abraça essa garota de modo positivo.Uma das canções mais fofas do álbum.

4 Only By the Strong// “Love is a sickness cured by time/Love is a sickness cured by time/Bruises all end up benign/ Love is a sickness cured by time”

Com uma balada, a canção ganha uma percussão discreta que cresce com o tempo e um violão bem bonito acompanha as palavras de Marling. Em uma confissão, tentando ser forte, Marling canta repetidamente “Somente os Fortes sobrevivem”em uma àlusão que deve deixar o choro de lado e enfrentar a situação (caso este, fim de relacionamento)

5 Blow by Blow// “I don’t know what else to say/I think I did my best/Momma’s on the phone already talking to the press”

Canção com piano e voz e detalhes lindos em violino dando mais atmosfera para a canção, “Blow by Blow” relata a visão de uma das partes em uma separação de um casal familiar ao público. Delicada a canção traz toda a melancolia e aprendizado de um término, e mesmo com a dor, parece que há um certo sentimento mútuo de que algo deveria ser acabado. A voz de Marling, junto com os backing vocals reforçam a tristeza da canção.

6 Song For Our Daughter// “Though they may take you for all you had left/You won’t be forgotten for what you had not done yet”

A canção que dá nome ao álbum é delicada, e bem bonita. Com um violão em uma melodia suave com o apoio de um piano, Laura Marling desenha vários cenários geralmente encontrados por mulheres. Encorporada com percussão, backing vocals após um lindíssimo intro de violinos, Marling dá seu melhor conselho de não perder a inocência da vida, e lebrar do livro. Linda canção.

7 Fortune// “And so ends a story I had hoped to change/I had to release us from this unbearable pain/And promise we won’t come here again”

Com violão em voz em uma melodia delicada que projeta bem a voz  história de Marling. Contando fatos em que a sorte/ destino das pessoas mudaram, logo Marling volta à sua história e confessa o entendimento de um amor que acabou, embora ainda sinta a dor da perda, tudo isso com lindos toques de violino acompanhando a canção.

8 The End of the Affair// “The end of the affair/I try to keep us there/Shake hands and say goodnight/ I love you, goodbye”

Em um violão bem delicado, mais uma vez, Laura Marling descreve  com detalhes o fim de um relacionamento. Todas as certezas, medos, e misturas de sentimentos estão alí presente, além da honestidade dos dois parceiros. Mais uma vez, a melodia deixa as palavras em destaque e backing vocals aumentam a ênfase em certas mensagens.

9 Hope We Meet Again// “Home, this is not a home anymore/You just threw your pieces, they washed up on my shore”

Contando mais uma história de separação, Marling conta sobre este homem que “mora na floresta/ ele é tímido, mas suas palavras são boas”, e relembra algumas das situações com melancolia, mas com certo otimismo. A melodia da canção permanece discreta, mas com uma atmosfera pesada, até ceder para um lindo instrumental, com percussão que encerra bem o álbum.

10 For You// “I drew pictures of you/Long before I met you/Just a fragment of my mind”

A última canção do álbum é uma demo feita pela cantora e por seu namorado de última hora, e que entrou no disco, fechando com uma atmosfera aconchegante e mais otimista.
Com os zumbidos de camadas de vozes no fundo, Marling então escreve uma carta para o seu amor (pode ser um filho ou uma pessoa) e confessa o quanto a pessoa é importante chegando a até agradecer um deus que não acredita. A canção é doce, simples, e cresce com uma bela guitarra no final.

O sétimo álbum de Laura Marling, Song For Our Daughter, originalmente sairia em setembro deste ano, no entanto, a cantora inglesa decidiu adiantar o lançamento do álbum para Maio, enquanto seu trabalho pudesse ser apreciado no memonte de quarentena durante a crise de Covid-19 pelo mundo.

Com a produção de Marling e Ethan Johns, as canções de Song For Our Daughter mais uma vez afirmam a qualidade de histórias de suas canções. Abordando situações que vivemos na vida, como s descritas na faixa-título, à (muitas) referências de fim de relacionamento, e como sobreviver otimista com a dor, Marling passa então experiências para o ouvinte ou a “menina” dentro de nós. Em momentos, parece que Marling reflete seus traumas nas letras, embora sempre entendendo a naturalidade de términos e ciclos.

Quanto ao instrumental, Laura Marling aparece mais clara e feliz em alguns momentos do álbum.  O single “Held Down” e  “Strange Girl” trazem violões mais ritmados e alegres, no entanto, a cantora ainda sabe fazer boas e intimistas baladas como “The End of the Affair” e “Fortune”, e canções com camadas que crescem e viram uma obra… como “Blow By Blow”. Tanto quando em melodias, arranjos e letras- a cantora parece mais leve e menos críptica.

Talvez uma das obras mais leves e provavelmente uma das melhores portas de entrada para o repertório da cantora, Laura Marling consegue contar com suas letras histórias que, embora ressone mais para uma audiência feminina, que Laura faz sabiamente e delicadamente no álbum, o álbum também tem uma abordagem universal, especialmente com as letras sobre fim de relacionamento e de passar algo para novas gerações.  Aconchegante e bem bonito, com um sentimento de casa, Song For Our Daughter, mostra uma Laura Marling mais alegre, mesmo assim realista com as dores do mundo.