The Violet May- Night & Day Café 16/07/2011

Quando soube que teria a possibilidade de ver The Violet May antes do Tramlines, surtei.  A banda é um dos highlights da cena de Sheffield, fazendo um som meio pesado, com toques eletronicos e com a voz perfeita de Chris McClure (irmão do Reverend Jon McClure e capa do primeiro album dos Arctic Monkeys.)

Então, no sabadão, dia 16 de Julho, compareci ao Night and Day Café em Manchester para conferir a banda ao vivo. Cheguei cedo, mas como eu nem sabia como era os esquemas de show, fiquei de boa. Assisti algumas bandas antes do The Violet May, todas locais  algumas com potencial e outras com clara intenção de ser banda de fim de semana. Foi divertido ver amigos dos integrantes das bandas enchendo a cara e cantando as letras.

Depois de 3 bandas e muito alcool consumido pelo público (que foram especialmente para ver os amigos tocando), finalmente chegou a vez do The Violet May. No show não havia muita gente muito interessada em assistir a banda, sendo que a maioria do público se situava no bar, e fora eu, tinha só algumas pessoas realmente interessadas em ver a banda ao vivo em estado sóbrio.

Começou o show e dei a bandeira brasileira pro vocalista, Chris McClure, que colocou a bandeira no palco. O show aconteceu perfeitamente. A qualidade do som estava boa e a banda estava em sintonia. Era possível ver a boa química entre os integrantes, que levavam o show profissionalmente, como banda grande, e com concentração master. Fiquei impressionada com a voz e performance do McClure ao vivo, o cara realmente sente a melodia e tem uma baita voz ao vivo, é impossível não arrepiar em algumas partes do show. É legal também o backing vocal de John Kubick, que coloca ênfase nas partes mais importantes da canção, uma combinação simples, mas muito bem sacada. Infelizmente o público estava apático com só a presença de uns bobos- alegres (com muito alcool na circulação sanguínea), o que não é compatível com a qualidade da banda. Muitas vezes tive vontade de pular, mas minha mochila enorme e minha timidez de ser a única a fazer isso não me deixaram. 

A banda se apresentou com 6 integrantes, um a mais que na formação original, o que deu certo. A banda surpreende ao vivo, e certamente saí de lá muito mais fã do que antes. Os caras da banda não são somente gente fina como também mandam muito bem ao vivo, deixando muitas bandas grandes que já vi no chinelo. Destaco “Queen Teen” como uma das músicas de maior qualidade ao vivo, “What You Say” que tentei cantar junto (mas, enfim…)e “Jennifer Lies”, que é humanamente impossível não ficar parado! Sai do show com vontade de assistir mais, uma dose de The Violet May não foi suficiente para acalmar meus animos, sendo que ao vivo, a banda é capaz de passar toda sua força e energia. O show me deu vários outros motivos pra valorizar e admirar ainda mais o som!!

O que me deixa triste é que bandas assim é que deveriam ter destaque na mídia. Banda de qualidade em que os caras tocam pra valer, tem qualidade e não brincam em cena. A banda está crescendo e tendo um pouco de espaço na mídia londrina, e realmente espero que a banda estoure e tenha o sucesso que mereça. Mais um exemplo de que Sheffield não é só Arctic Monkeys e Pulp- tem muito mais coisa legal acontecendo na cidade do que muita gente imagina.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s