The Dodos- Certainty Waves

Artista: The Dodos
Álbum: Certainty Waves
Gravadora: Polyvinyl Records
Lançamento:Outubro/2018

O duo The Dodos rompeu o hiato de quase 4 anos do último álbum Individ (uma das primeiras resenhas do site),  lançado em Janeiro de 2015. Ambos Meric Long e Logan Kroeber tem feito um trabalho bem consistente com o som experimental, tanto nas guitarras quanto nas baterias de Kroeber ao longo dos anos, mesmo com perda de integrantes e renascendo e adaptando seu som para algo um pouco mais pop, sem deixar de ser experimental.

Pode ter demorado um pouco, mas Certainty Waves é o sétimo álbum de estúdio da banda. Após ter lançado Carrier e Individ num espaço menor de dois anos, o duo decidiu quebrar um pouco o som do The Dodos que conhecemos e experimentar com mais sonoridades e texturas e mesmo assim limitando influências para não se perder na variedade de opções existentes. Mas a característica deles ainda está lá, mas um pouco diferente. Pois então escutamo Certainty Waves e aqui estão nossas impressões faixa a faixa:

1 Forum//“What do I care/Whether you know my name?/Memories rise and/Fall into random place”

A canção que abre Certainty Waves e é o primeiro single do álbum, já mostra uma boa mudança no som. Com uma introdução com cordas e  muitas repetições no refrão a música explode em bons riffs e melodias com algumas guitarras distorcidas e um delicioso solo no meio da canção. Muito som acontecendo em meio de letras sobre distanciamento de relacionamentos e uma certa maturidade nas entrelinhas.

2 IF// “Even before I get to the end/I’ve heard it before, I know what happens”

Começando com guitarras bem diferentes, assim como a percussão que ressoa e faz um som totalmente novo e intrigante, “IF” também traz um baixo genial- com um instrumental lindo. Meric canta de um jeito arrastado que dá ainda mais efeito para a delícia do instrumental.

3 Coughing//“All along it was effortless/Always effortless, always effortless”

Com um instrumental mais vagaroso e com as paradas inesperadas típica da banda e mais uma integração única de bateria e guitarra, The Dodos traz um ar um pouco psicodélico e muita ginga na guitarra. A música surpreende também pela variedade de ritmos, mas não pelas letras vagas sobre uma possível discussão.

4 Center of// “Go on, forget what it was you were yesterday”

Mudam-se os instrumentos e a guitarra tem destaque nessa quase balada. Com alguns detalhes em guitarra no background. Com somente guitarra e violão, a canção tem uma ótima textura que dá pano para as letras que ponderam tanto sobre o crescimento de Meric Long quanto de sua filha.

5 SW3//“Is that what you wish, honestly?”

O segundo single do álbum com um clipe que narra a trajetória de uma menina em artes marciais realmente dialoga com a canção. Cheio de texturas com uma percussão bem rápida e presente, uma guitarra melódica e outra dando mais textura para a canção. A canção fica mais devagar no meio, mostrando bem essa diferença de textura que o ritmo dá.

6 Excess//“Turning over/Death is fast approaching/Dissonance is only temporary”

Com uma ótima percussão que vicia e com um riff bem marcado principalmente no final da canção, “Excess” um poco minimalista e aos poucos vai integrando instrumentos até ficar bem intensa no final. A voz suave de Meric e a prosódia cortada fazem que a voz e palavras muitas vezes sejam parte integrantes da canção.

7 Ono Fashion//“God is so out of fashion”

Começando com um ótimo riff sendo acompanhado por uma bateria bem diferente de Logan Kroeber. Batidas e ritmos quebrados que são uma das marcas da banda junto com riffs geniais de Meric Long. Uma das melhores faixas do álbum, que fecha com interferência de som (sim, não é seu celular ou computador).Letras novamente vagas, mas em nosso chute é sobre voltar à vida, e as inúmeras metáforas que vem junto à isso.

8 Sort Of//“Living in another person’s fantasy”

Abrindo com um som que parece uma sirene, e com uma batida mais quebrada. “Sort of” começa como uma balada e transita para um ritmo mais acelerado e com ótimos riffs para o final da canção. Letras sobre amor, separação e saudade daquela pessoa.

9 Dial Tone//“Just tell me when/I’ll run to you, to you”

A voz arrastada de Meric Long contrasta com as guitarras e a baterias em ritmos marcados, até dar uma acalmada no refrão com a parte do violão seguido com um ótimo riff de guitarra. Uma das faixas mais experimentais e até um pouco confusa, mas que mostra bem para outros caminhos The Dodos podem seguir:

 

A evolução tanto de Meric Long como guitarrista e de Logan Kroeber como baterista é notável. Ambos conseguiram experimentar e buscar novas sonoridades e texturas de um jeito em que não se vê tanto na música pop quanto no indie rock. Kroeber  consegue batidas novas e mostra em “SW3″como o ritmo da batera dita sim toda uma canção. De batidas mais africanas ou até experimentações novas, Kroeber  deu uma nova virada nas canções.

Meric Long também trouxe uma ótima guitarra- tanto com os riffs que realmente fazem hipnotizam o ouvinte, tanto em uma ponte quanto em um refrão.O músico também traz uma magia enorme com aquelas notas no background com distorção que fazem toda a diferença. No entanto as letras e até mesmo o jeito arrastado que Meric canta a canção deixa a desejar. As letras muitas vezes são vagas e parecem estar lá só porque cantadas soam ok, mas não há grande história ou mensagem por trás

Certainty Waves é certamente um grande passo na carreira do duo The Dodos, e não só abre horizontes para a banda, mas também é mais um álbum que consagra e mostra o talento e a sonoridade única da banda. A química da guitarra e bateria junto com as experimentações é certamente o destaque deste álbum.