The Last Shadow Puppets- Everything You’ve Come to Expect

Artista: The Last Shadow Puppets
Álbum: Everything You’ve come to Expect
Gravadora: Domino Records
Lançamento:Abril/ 2016

Após 8 longos anos de muita especulação se Alex Turner e Milex Kane se reuniriam novamente para mais um aguardado álbum, eis que sim, ambos cantores separaram um ano em suas agendas ( entre mais um break dos Arctic Monkeys) para trabalhar o segundo álbum Everything You’ve Come to Expect. Mais maduros e com corte de cabelo diferente, Miles e Alex estão mais soltos e extrovertidos, não só pela experiência no mundo business, mas também pela idade (ambos com 30 anos), deixando para trás a imagem dos meninos tímidos e sensíveis que vimos em The Age of the Understatement (2008).

Desta vez também não temos o ambiente bucólico do interior da França em um verão ameno, mas sim os estúdios Shangri-La na ensolarada Malibu, apesar do time da produção de Everything You’ve Come To Expect ser o mesmo do álbum anterior: o produtor de longa data James Ford, além da organização da orquestra pelo magnífico multi-instrumentalista Owen Pallet. Porém, mudanças já eram de se esperar, o logo com o primeiro single “Bad Habits”, foi possível identificar algumas mudanças e influências tanto da carreira solo de Miles Kane como da metamorfose que os Arctic Monkeys e Alex viveram nos últimos anos. Atmosfera solar, guitarras, ótima instrumentação e letras espertas, vamos ver faixa a faixa o se  Everything You’ve Come To Expect é exatamente o que esperamos do duo Milex.

last shadow puppets- everything you come to expect

1 Aviation// “The Colourama in your eyes/It takes me on a moonlight drive”

Abrindo com uma faixa típica de The Last Shadow Puppets, com arranjos de cordas e um tom 007 para o arranjo das guitarras e baixos, Miles Kane canta os primeiro versos para logo na última estrofe Alex se juntar. Melodias extraordinariamente impecáveis, as letras permanecem cheias de referências e metáforas, especialmente em cores (Coulorama/Sectorial Heterochromia) dos olhos da garota e viagens noturnas (Aviation in the evening/ moonlight drive).

2 Miracle Aligner// “Come on Miracle aligner/Go and get ‘em tiger”

Com clima clássico “Miracle Alligner” tem a estrutura de refrões e versos e foi composta junto com a cantora Alexandra Savior. A canção lembra um pouco”Piledriver Waltz”, considerando-se o tom de voz que Alex usa para cantar e o ritmo marcado do baixo e a bateria. A canção suave tem como letras a descrição de um rapaz sedutor, que embora seja ótimo, tem alguns problemas.  Mais uma das descrições certeiras de Turner com ótimas metáforas (lembrando que “get ‘em tiger” é uma das falas famosas de Spiderman)

3 Dracula Teeth// “You’re hovering above my bed looking/Down on me/Haunted housesound effects/Dracula teeth”

Começando estrondosamente com as cordas para desembarcar em um ótimo ritmo com um baixo no compasso e as ótimas guitarras de Kane com seus efeitos, e toques precisos das cordas- Miles e Kane em harmonia narram uma noite em que se encontram com um vampiro(a), como se um amante visitasse. Ótimas metáforas, e bem visual, o momento do encontro é detalhado no refrão e uma das letras mais divertidas.

4 Everything  You’ve Come To Expect// “(Everything that you’ve come to expect)/I guess the coastal air gets a girl to reflect”

Segunda canção de trabalho e também nome da faixa do álbum, “Everything You’ve Come to Expect” é uma canção suave com Alex e Kane cantando em harmonia em um tom calmo com instrumental também tranquilo com ótimas cordas, a atenção da música é voltada para a letra recheada em referências e metáforas do melhor jeito que Alex é expert em fazer: descrever um romance com imagens e referências de músicas, bem simbólico.

5 The Element Of Surprise// “And It feels like/Your entrance just caused the temperature to rise”

Mais agitada e com ritmo lembrando algo dos anos 70, com um ótimo e viciante ritmo Alex Turner lidera os vocais harmoniosos com Miles Kane e narra o conflito que vive em sua cabeça com os sinais de uma garota para no final deixar e ver se terá o tal “elemento de surpresa”.

6 Bad Habits// “Do you want to hold hands?/Should we get back down?/Do you want a slow dance?”

O primeiro single que o duo soltou se diferencia um pouco do som que a banda fazia em 2008, mas mostra um novo espectro do som, mais próximo que o Miles Kane faz em carreira solo. Com guitarras pesadas e à todo vapor somando às cordas em uma ótima conversa, Miles canta as letras da canção com alguns gritos no meio do caminho, o que tira um pouco a marca Shadow Puppets da canção.

7 Sweet Dreams, TN// “It’s like everyone’s a dick without you baby/Ain’t I fallen in love”

Música com autoria única de Alex Turner a canção segue rítmica até o final dos versos principais até suavizar no final, para fechar com mais vigor e instrumentos. A canção é uma declaração de amor para a namorada de Alex, Taylor Bagley, que cresceu em Tennessee e tem um piercing no septo do nariz ( You’re the first day of spring
With a septum piercing), muito óbvio e direto, mostrando que declarações explícitas nem sempre são legais e que realmente Alex precisa de Miles para fazer o Shadow Puppets funcionar.

8 Used To Be My Girl// “The here and now so suddenly/Became a different world”

Seguindo uma linha mais rock com guitarras mais pesadas (as distorções do Miles são bem presentes) e até um toque mais Beatles no final da canção. Com vocais suaves de Miles e Alex falam de como uma garota mudou o comportamento do namorado, para logo depois de acabar o relacionamento Alex/Miles imaginam que era tudo imaginação, que tudo que viveram era imaginário- tudo no meio de ótimas metáforas.

9 She Does The Woods//  “She’ll jump in the river/You’ll wish you’re the water”

“She Does The Woods” tem um pouco de atmosfera Beatles, com os sussurros de Miles, intercalando com a voz arrastada de Alex e uma ótima melodia com guitarras bem executadas de Miles Kane. As letras contam com ótimas metáforas de mulher/ loba com “uma aventura” na mata.

10 Pattern// “And never in my wildest dreams/Has it occurred to me to try to go to sleep

Canção cantada  por Miles começa com um ótimo instrumental marcado e com mais suingue e vocais lembrando Beatles, afirmando influência e trazendo um pouco de Wirral (Liverpool), lembrando o trabalho do cantor. Letras com metáforas sobre o  amor de uma garota e a confusão que Miles fica ao sair da casa dela de madrugada.

11 The Dream Synopsis// “And a wicked gale came howling up through Sheffield City Centre”

A canção que fecha o álbum também tem autoria de Turner, e interpretada somente por ele, onde  relata os seus sonhos que misturam o passado, presente e futuro de uma forma bem Turner. Alex menciona que no sonho beijava uma garota escondido enquanto trabalhava em um pub (The Boardwalk? o bar em que trabalhou na adolescência), misturando coma ventania de Sheffield (Steel City rooocks) com coqueiros e o Coliseu e os dias atuais onde ele a namorada atual e Miles estão esquiando em Los Feliz. A canção lembra um pouco “I Wanna Be Yours” com o vocal arrastado e o novo jeito do Alex cantar e o ritmo mais calmo com piano, bateria e os maravilhosos arranjo de cordas.

 

Everything You’ve Come to Expect mostra o inevitável da transformação dos cantores e uma influência maior dos trabalhos dos artistas neste projeto paralelo: Alex traz bastante de seus vocais e interpretações (ás vezes exageradas) mostradas nos dois últimos álbuns dos Arctic Monkeys, assim como o padrão de metáforas, principalmente aquelas relacionadas à amor ( “She Does The Woods”, “Sweet Dreams, TN”, “Dracula Teeth”) e Miles traz seus projetos solos com suas guitarras mais pesadas e com mais experiência e até sua espontaneidade e simplicidade em suas canções e suas composições (“Bad Habits” mostra bem como Miles vai para este lado mais cru da canção). Mesmo assim, é visível que os talentos dos dois fazem o som do The Last Shadow Puppets acontecer, apesar que desta vez, é mais notável a contribuição das partes.

A primeira parte do álbum tem um feeling maior de The Last Shadow Puppets, com uma pegada mais clássica com ótimas metáforas e arranjos impecáveis, lembrando bastante o primeiro álbum, mas com uma evolução notável, contando tempo e experiência de Miles e Alex. Após “Bad Habits” e a açucarada “Sweet Dreams, TN” (Alex ultimamente escreve sem muito mistério sobre suas namoradas) onde são ressaltadas os estilos diferentes dos cantores, o álbum muda um pouco de direção e o álbum alterna com doses exageradas dos talentos, ora de Miles, ora de Turner- e é aí que aparece mais as influências solos dos cantores com a sofisticação dos arranjos de cordas de Owen Pallet.

Tudo leva a crer que Everything You’ve Come To Expect não é o último álbum do duo e que talvez virá mais 2 álbuns para o projeto paralelo, como Alex Turner afirmou para uma revista- o que é uma ótima notícia. Everything You’ve Come To Expect pode ter  faces mais expostas dos cantores, mas ainda sim é um ótimo álbum com pequenas obras de arte como “Aviation” com um ritmo sensacional, “Everything You’ve Come To Expect” com ótimas metáforas a là Turner em sua genialidade e a hilária e bem escrita “Dracula Teeth”. Até mesmo a faixa exclusivamente Turner “Dream Synopsis” traz um tom nostálgico com letras bem escritas e pessoais e um pouco de comédia. Confesso que esperava mais do album, mas mesmo assim, Everything You’ve Come To Expect é um super álbum e   com certeza vai estar no repeat e marcar uma fase assim como The Age of The Understatement fez.

Anúncios