Ingrid Michaelson- Stranger Songs

Artista: Ingrid Michaelson
Álbum: Stranger Songs
Gravadora: Cabin 24 Records
Lançamento:Junho/2018

Ingrid Michaelson é talvez uma das melhores mentes do pop atualmente, apesar de pouca gente que conhece o trabalho da cantora, oficialmente, Ingrid já foi trilha sonora de vários momentos de séries, teve algumas colaborações (como Sara Bareilles) e já tem 8 álbuns no currículo. O sucessor de It Doesn’t Have Sense Anymore (2016) então tomou forma este ano, e com muitos spoilers da cantora.

Nas mídias sociais, nunca foi segredo a paixão da cantora pela série Stranger Things, exibida pela Netflix desde 2016 e com a terceira temporada prestes a ser exibida. Entre moletons com o logo do seriado e cosplay da personagem Eleven, a cantora revelou que seu nono trabalho de estúdio seria baseado nas histórias e interações dos personagens da série. Como a cantora foi convidada a compor canções para a adaptação do musical The Notebook, Ingrid afirma que fazer o álbum baseado no Stranger Things foi também influenciada pelo exercício desta experiência do musical. Conferimos então esta nova era da cantora e análise faixa a faixa está a seguir:

1 Freak Show//“Who wants, who wants/Who wants to be normal anyway? “

Abrindo o álbum com uma canção mais calma, uma balada com ótimos detalhes na instrumentação e nos sintetizadores. Com poucos instrumentos, Ingrid oferece uma canção mais minimalista que conforta o ouvinte com os vocais e o tom aconchegante da melodia. Quanto às letras, inspiradas em Mike dando boas vindas à Eleven, convidam o ouvint a entrar em seu mundo (e consequentemente uma boa analogia para entrar no mundo do álbum).

2 Young And In Love//“Explosions in the sky, I see colors fly/ It’s like the Fourth of July in your eyes”

A canção que começa como uma balada explode em um pré refrão bem Ingrid Michaelson (algumas repetições, vocais bem afinados e batidas de palmas) e em um refrão bem anos 80 ( “We are young and in love” repetidas diversas vezes com os sintetizadores a todo vapor). As letras foram provavelmente inspiradas no trailer da terceira temporada, já que Eleven e Mike vivem um pequeno romance e todas as aventuras acontecem no verão.

3 Hey Kid//“Hold my hand (Hold my hand)/ And promise you won’t let go again”

Mais uma balada que tem uns toques de sintetizadores que aumentam bem a canção após o refrão, com direito a até ter um riff de guitarra e uma ótima atmosfera dos anos 80, e um dos melhores cocais de Ingrid Michaelson. Provavelmente inspirada na relação entre Hopper e Eleven, as letras abordam confiança  e no carinho entre os personagens, quando Eleven tenta crescer.

4 Hate You//”I don’t hate you/I just hate how much I don’t hate you”

A balada com piano e voz é bem minimalista, mas explode comritmo no final da canção. Escrita com ponto de vista de Steve no final do relacionamento com Nancy, “Hate You” é uma boa canção de amor, bem honesta e bonitinha.

5 Jealous//“I do bad things when I’m jealous/I do bad things, I can’t help it, I can’t help it”

Inspirado em uma cena entre Eleven, Max e Mike, na segunda temporada, “Jealous” captura bem o sentimento de inveja que a personagem principal passa. Com ritmo um pouco mais moderno com ritmo quebrado e vocais agudos no refrão e uma melodia bem dançante, sem deixar de ser orgânica. Um dos pontos altos do álbum

6 Missing You//“When he’s kissing me, I’m missing you/Kissing me, I’m missing you”

O primeiro single lançado  tem os sintetizadores dos anos 80 que remetem ao som da abertura do show, principalmente no refrão, bem poderoso, Michaleson usa bem os teclados dando uma versão mais atual. Letras abordando um triângulo amoroso ( inspirado em Jonathan, Nancy e Steve) em que a garota fala do quanto sente falta do rapaz que no momento nem é seu namorado.

7 Best Friend//“Here I go again, falling in love, love with my best friend”

Uma canção pop, bem fofinha e gostosa, com guitarras e bateria dando corpo para a canção, que tem um refrão bem forte. Os vocais mais despretensiosos da cantora também chamam a atenção e dão um tom tímido para a canção. Segundo Ingrid as letras são do ponto de vista de Barb se apaixonando por Nancy, já que há algumas teorias da conspiração sobre isso.

8 Mother//“Something in the woods is coming close enough to hear/If I close my eyes, will I disappear?”

Piano e voz em uma canção delicadíssima, a canção aborda o tema mãe:  Will Buyers conversando em pensamento com sua mãe Joyce Buyers, Eleven, divagando sobre a sua mãe e a separação brusca que teve dela e até mesmo, de modo pessoal, de Ingrid Michaelson, que perdeu sua mãe recentemente. Uma canção bem sublime para o álbum.

9 Christmas Lights//“And I promise I’ll make things right/But until then, I will talk to you through the Christmas lights”

Inspirado na personagem interpretada por Winona Ryder, “Christmas Lights” é baseado nas cenas que a personagem usa as luzes de natal para falar om seu filho no Upside Down. A canção também traz um pouco de nostalgia para a cantora, já que há muitas referências sobre o Natal. A canção lembra um pouco as baladas de Cindy Lauper, com os sintetizadores baseados na série, e o vocal típico da cantora.

10 Pretty//“Running around with my long hair/ Tearing my dress, and I don’t care/If you’re looking for something beautiful”

Mais um dos pontos altos do álbum, inspirado no momento em que Eleven se vê com um peruca nova e com as roupas de Nancy, aprendendo pela primeira vez que é “pretty” (bonita). Com um instrumental bem trabalhado a canção cresce e encerra de modo grande, Ingrid também passa a mensagem de como as garotas sabem lutar neste mundo.

11 Take Me Home//“Turn me inside out, turn me upside down/Take me home somehow, take me home”

A canção que encerra o álbum tem como ênfase como o show relembrou a infância de Ingrid Michaelson e como isso a reconfortou após perder os dois pais. Em uma canção mais vagarosa e delicada, com sintetizadores dando um toque bem legal pra canção. A canção emociona pelo agradecimento à este sentimento de nostalgia.

 

Em Stranger Songs, Ingird Michaelson consegue juntar toda a atmosfera do seriado e a experiência que os personagens em canções que não são somente para a audiência da série, mas para quem também não acompanha o show. Muitas das canções fazem referências à cenas com frases ou palavras que os personagens usam, mas Ingrid se baseia principalmente nos sentimentos para escrever suas letras.

Quanto ao à musicalidade do álbum, os sintetizadores inspirados na abertura do show e a atmosfera dos anos 80 estão presente (principalmente nas baladas do álbum), no entanto, Ingrid consegue usar estes elementos e fazer um som bem atual e com muita essência da cantora. Os vocais rápidos e afinados, a delicadeza de algumas passagens e toques de palmas em algumas das canções comprovam o fato.

Stranger Songs é não só uma celebração do seriado e da atmosfera de nostalgia que os anos 80 trazem para a audiência mas é também um trabalho em que a cantora soube ser universal em abordar as experiências dos personagens sendo que as canções funcionam tanto pra quem é fã ou não da série. Conseguindo mesclar as influências também sonoras, Ingri oferece um dos melhores discos de sua carreira, e provavelmente um dos melhores álbuns pop do ano, sabendo casar bem a nostalgia, universalidade dos temas, e batidas atuais com ingredientes do melhor dos anos 80.