Pedra Relógio- Tudo Que Vem À Cabeça

Artista: Pedra Relógio
Álbum: Tudo Que Vem À Cabeça
Gravadora: Nomad/Sony Music
Lançamento: Dezembro/2018

Os garotos do Pedra Relógio sempre chamaram a nossa atenção. Com a primeira música lançada, a canção pop rock “Navegando”, a banda mineira de São José do Nepomuceno conquistou os nossos corações com uma sonoridade que há tempos não escutávamos na cena nacional. A banda composta por Marcelo, Dudu, Brow e Diogo incorporou um som um pouco mais pesado nos próximos singles, sem deixar a marca da banda de lado e finalmente no final do ano passado, foi lançado o primeiro álbum Tudo Que Vem À Cabeça.

Lançado último Dezembro com 10 faixas e produzido por Rodrigo Vidal no estúdio Versão Acústica em São João Nepomuceno (MG), o primeiro álbum conta com a roupagem mais pesada da banda com guitarras dando mais corpo para as músicas e dando a principal característica da sonoridade do Pedra Relógio. Escutamos o álbum faixa a faixa e as nossas impressões se encontram a seguir:

1 Enforcado Pela Língua// “Você fala tudo o que quer/ Você fala como se fosse um deus/ O destemido”

O primeiro single do álbum começa com riffs que não só abrem a canção mas também podem ser percebidos em alguns momentos ao fundo. Versos mais secos para logo vir um refrão rico com uma guitarra com um ritmo mais contagiante. Letras que abordam aqueles seres que falam demais e escutam de menos- um dos ótimos highlights da canção também são os áudios falados que começam  e estão no meio da canção.  Um dos melhores registros da banda!

2 Velho Amigo// “Logo na primeira vez em que você/ Usar um pouco a lucidez pra perceber/ Que eu sou você”

“Velho Amigo” tem uma pegada mais rock pop com as guitarras  e riffs mais “limpos”e um baixo e bateria em sintonia e bem mais presente nos versos. O refrão também explode com os vocais de Marcelo junto com as ótimas guitarras que proporcionam também um ótimo ritmo. Uma daquelas canções pra cantar com todo os pulmões.

3 Pensando Demais//“A cabeça está em outro lugar/ Parasitas não param de chegar”

“Preparados, Apontar, Vai” introduz a canção mais voltada para o rock pop com um instrumental bem intenso e conciso, em que ainda se vê o brilho da guitarra e os detalhes da bateria. O refrão mais espaçado com vocais dão um toque especial na canção, assim com os vocais mais espaçados. Um ritmo mais simples e com muita essência da banda.

4 Ciranda//“Já é a hora/ É hora de ir embora/ E nesta despedida eu conto mais é por você”

Mais um riff pesado abrindo para mais uma das canções mais rock and roll do álbum. Com a guitarra presente e a bateria também a todo vapor que levam a um refrão também intenso, mas com uma bela segunda voz que ajuda a trazer um pouco de suavidade para a canção. “Ciranda” chama atenção como a banda pode flertar e incorporar bem os riffs de lado. sem mudar a essência e mostrando um lado mais dark da banda.

5 Surf Maldito//“Hey, você vai enlouquecer/ Faz muito tempo mas/ Se numa esquina eu me perder/ Não vou olhar pra trás”

Abrindo com um ritmo rápido em que guitarra e voz em sintonia te levam e um refrão com guitarras que lembram um pouco surf music, mas bem mais pesadas. “Surf Maldito” mostra mais uma vez como a banda pode ser eclética,  outros riffs certeiros  e um backing vocal que dá um toque especial à canção.

6 Resposta//“Há uma resposta eu sei/ Mas minha cabeça não consegue explicar”

Mais guitarras e um baixo com uma linha muito interessante que levam a canção a um ritmo super contagiante. Oferecendo mais um refrão pra cantar e fácil de lembrar, os pontos altos da canção estão novamente nos riffs que fazem transições fantásticas  e a ponte em que o ritmo acalma e vozes começam a cantar (como se fosse uma conversa interna).

7 Se Eu Não Voltar//“Só não me culpe se eu não voltar/ Eu tive um péssimo dia”

Baixo bateria e voz abrem a canção que tem uma atmosfera mais leve, até mesmo com a guitarra que entra e traz até uma atmosfera um pouco mais solar.  O ritmo casa bem com o refrão, fácil de cantar. As transições com baixo e as guitarras com riffs no background dão detalhes especiais para a canção.

8 Febre do Ouro//“Ah, da janela vejo a vida acontecer”

Com as guitarras mais gingadas do álbum, que se transformam com toda força no refrão. A banda mostra novamente a força e versatilidade, indo de um som para o outro, sem contar no riff genial e monstruoso como recheio da música. Relatando as mudanças da vida, o mais interessante é quando a canção muda tom no refrão acompanhando a indignação da vida que quase nunca muda.

9 Longas Horas da Tarde//“Nunca mais voei com asas de papel/ Pra perto do sol”

Guitarras e ritmo quebrado, “Longas Horas da Tarde ” tem ritmo intenso com guitarras pesadas e  com transições e riffs bem contagiosos. O baixo tem uma linha bem intensa que muda bem a atmosfera da canção.

10 Primeiro Dia//“Hoje é o dia que acordei por prazer/ Sem me preocupar”

Começando com guitarras com um riff único, hipnotizante e uma frase que já chama a atenção do ouvinte, e mais um refrão bem intenso com todos os instrumentos à todo vapor. As letras descrevem uma mudança de mentalidade, o primeiro dia desse novo mundo em que se abre. Outra canção bem estruturada em que cada instrumento brilha e fecha bem o álbum

 

A primeira ouvida de Tudo Que Vem À Cabeça pode parecer um álbum com somente  guitarras pesadas. Mas o ouvido atento irá perceber a riqueza de ritmos, texturas e detalhes que o álbum traz para o ouvinte.  Bem orgânico, percebe-se que a banda abusa das guitarras pesadas apostando em riffs bem diferentes que trazem o ouvinte  e contam com uma pegada diferente em cada canção, porém a conversa que os instrumentos mostram canções bem estruturadas e bem viciantes.

O rock dos meninos do Pedra Relógio lembra um pouco o rock nacional dos anos 90, com as guitarras e ritmos, mas mesmo assim a marca dos meninos é visível, pelos vocais de Marcelo, mas pelos riffs e ritmo único da banda . Com canções mais agressivas como “Ciranda” e “Surf Maldito” que relembram longe um pouco daquele rock do CPM22, junto com canções mais acessíveis como “Se Eu Não Voltar” e “Velho Amigo” com uma linha de rock mais radiofônico- a banda mostra que tem um bom repertório, sem perder a essência e sem medo de arriscar, sendo uma das melhores apostas no cenário nacional no momento.