Cidades Musicais: Codinome Winchester (Campo Grande)

Um dos nomes do rock nacional que despontou nos últimos anos foi o Codinome Winchester. Bons riffs de guitarra e letras bem diretas e criativas, a banda conquistou um espaço merecido e os ouvidos de muita gente. Naturais de Campo Grande, Mato Grosso do Sul (é do Sul!), a banda é o nosso segundo capítulo de Cidades Musicais:

1. Qual é o seu relacionamento com a cidade? O que você gosta e odeia nela?

CW: Como fomos nascidos e criados na cidade, conhecemos muitas pessoas e temos diversas delas em comum com algum outro conhecido. Esse fator foi bem importante para a divulgação inicial da banda e contribuiu no nosso alcance no público do estado e fora dele. Gostamos bastante disso. A parte difícil é que muitos lugares onde tocamos fechavam e fecham, acreditamos que é algo nacional também, o que dificulta no trabalho de outras bandas daqui também.

2. Como a cidade que você vive é diferente das outras? O que há de especial nela?

CW: A individualidade dela consiste em ser uma capital com características de interior Isso é algo que agrada uns e desagrada outros. Nós amamos isso atualmente, antigamente, era algo que prejudicava alguns parâmetros de divulgação, contudo é uma excelente para nascer e ser criado, porém acreditamos que não seja uma boa cidade para alcançar novos ares.

3. A cidade ajuda a dar inspiração para escrever? Se sim, que músicas foram inspiradas em cidades?

CW: A cidade contribuiu bastante na composição de várias músicas, como por exemplo, a nossa música Espírito Velho, com uma pitada de folk e rock 70’s (inspiramos em bandas como o Bando do Velho Jack daqui da cidade, excelente banda) principalmente com o ar antigo da cidade no centro. Outro exemplo é a música Mensagem de Outras Horas, que foi concedida em cima de uma árvore, muito espiritual e interiorano.

Codinome Winchester-”Espírito Velho”

4.Alguma canção lembra uma cidade da qual você viveu? Como você se sente?

CW: Há várias músicas excelentes de Campo Grande, citaremos algumas: ‘Palavras Erradas” – Bando do Velho Jack, “Agradece” – Marina Peralta, “Uma nova forma” – Naip, “Prelúdio” – Peixes Entrópicos,” Atemporal” – Midwest, “Noites de Guerra” – Insana Corte, “Senhorita” – Filhos dos Livres, “Belo Monte” – Santo Chico. Nós sentimos muita nostalgia escutando essas músicas, uma vontade insana da nossa terra.

Naip- “Uma Nova Forma”:

5. Você acha possível conseguir fazer uma música que ressoe a todos e pela música a pessoa entender sentimentos e até um pouco do lugar que você vive?

CW: É interessante quando uma música surge de um sentimento particular o qual pode ser interpretado de várias formas. Nem sempre todos vão se conectar com o tipo de música depende de vários fatores.

Pergunta final: Qual é a sua música favorita que fala de sua cidade e que lugar você recomendaria para um turista?

CW: Acredito que misturamos a pergunta 4 com a 6, enfim há várias músicas excelentes na resposta 4. Parque das Nações Indígenas e Morada dos Baís são dois imperdíveis lugares de Campo Grande/MS.

Insana Corte- “Noites de Guerra”:

 

Confira então o som de Codinome Winchester: