Melhores Álbuns Internacionais de 2019

2019 foi um ano muito surpreendente musicalmente. Vimos artistas novos despontarem , alguns há muito tempo na estrada, outros nem tanto. Vimos a volta de algumas bandas que achávamos que já tinham desistido da carreira e também aqueles artistas que já sabiamos que lançariam músicas de alta qualidade. Segue assim nossa lista dos álbuns que mais gostamos neste final de década.

10 Elbow- Giants of All Sizes

Giants of All Sizes ainda não trouxe toda a glória e som poderoso de Elbow, mas trouxe um instrumental mais pesado para a banda que abordou temas grandes como Brexit e o incêndio de Greffen Towers em Londres  e alguns menores e não menos trágicos como um suicídio nas linhas de trem, mas mesmo assim conseguindo passar com o som em palavras um certo aconchego em meio de tanta tragédia.

Leia nossa Resenha

9 Lizzo- Cuz I Love You

Outra ótima surpresa do mainstream, Lizzo conquistou com o seu som super divertido, com sua voz poderosa com uma produção de músicas variadas em gênero, passando por rap, R&B, e pop, mas sempre brilhando com suas letras e voz. Batalhando há um tempo pra finalmente conseguir destaque, Cuz I love You finalmente a colocou na mapa, assim como a sua positividade e irreverência que cativa no primeiro acorde do álbum.

8 Billie Eilish- WHEN WE ALL FALL ASLEEP, WHERE DO WE GO?

O álbum de estréia de Billie Eilish foi provavelmente a maior surpresa do ano. Já parte do mainstream, Billie junto com a produção e algumas composições em conjunto com o irmão Finneas trouxe um pop introspectivo com um bom toque de ironia, fora o tema de sonhos/ pesadelo que circula o álbum. Pra quem conhece a irrevência e o mundo de adolescente, Billie ilustrou bem om o jeito dela esta fase e a fez universal.

7 Two Door Cinema Club- False Alarm

A volta do Two Door Cinema Club meio que resgatou o que a banda trouxe nos dois primeiros trabalhos. Cheio de músicas dançantes com bom usos de sintetizadores e as guitarras características da banda. Two Door ofereceu um som com toques do passado, mas incorporando um som um pouco mais moderno.

Leia nossa Resenha

6 Angel Olsen- All Mirrors

A fase Elvira de Angel Olsen não deixou de surpreender depois do álbum My Woman (2016).  Com um arranjo ótimo de cordas e uma atmosfera bem pesada sem deixar o lado sentimental de lado, Angel Olsen se conecta com seu lado mais sombrio, mais introspectivo e transformou em um álbum com músicas intensas sobre o relacionamento com sí mesma, e com outras pessoas.

5 Bring Me The Horizon- AMO

Uma das maiores surpresas do ano, Bring Me The Horizon, traz um dos melhores discos com um grande flerte com o pop. Inspirado no relacionamento com sua nova esposa brasileira nas letras, a banda traz uma abordagem mais acessível, mas sem deixar a pegada emocore de lado.

4 Andrew Bird- My Finest Work Yet

Em My Finest Work Yet Andrew Bird oferece mais uma vez um trabalho coeso com um instrumental impecável com ótimos pianos, assobios e logicamente os violinos do cantor. Com temas que vão do sistema político americano (“Bloodless”/ “Manifest”) à briga sem prescendentes dos partios políticos (“Olympians”), Bird traz canções com aquele toque irônico nas letras e o instrumental bem conciso.

3 Otoboke Beaver- Itakoma Hits

Quem  e o que? Sim, nosso terceiro lugar são as japonesas do Otoboke Beaver que finalmente lançaram o álbum de estreia que além de ter canções com letras bem engraçadas, tem um som pesado e viciante. Variando em ritmos com linhas de baixo que lembram o primeiro álbum do Arctic Monkeys (S’Il Vous Plait)  e um punk rock cheio de gritos que vai fazer você gritar algumas palavras em japonês. Confira o som e siga as meninas, pois elas são demais.

2 Aldous Harding- Designer

Uma das maiores descobertas do ano, a neo-zelandesa Aldous Harding  traz o melhor de seu folk com uma produção impecável, aconchegante mas sem deixar de ser esquisito. Com letras crípticas mas mesmo assim conseguindo fazer você cantar as canções e se divertir, sem saber mesmo o que as metáforas são. Uma das cantoras mais fascinantes do momento, Designer é viciante, irônico, engraçado e mostra bem as nuances de Aldous Harding.

1 Vampire Weekend- Father of The Bride

A volta do Vampire Weekend foi mais uma surpresa, pra muitos a banda nem voltaria mais, mas voltou! E ainda com 18 canções em The Father of the Bride. Com canções típicas da banda e participação de Danielle Haim e Steve Lacy  (a até mesmo Jenny Lewis) em algumas das canções do álbum, a banda  surpreende com um álbum bem conceitual do Pai da Noiva em um casamento, e os vários sentimentos alí no meio de uma união após o casamento. Tudo somado à alguns dos melhores instrumentais da banda.

Sobre samarasammy

A simple girl lost in thoughts and feelings-
Esse post foi publicado em Especial, Indie, listas e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.