Melhores Álbuns de 2015 Internacionais

Mais um fim de ano e mais listas- 2015 foi ano de surpresas positivas e negativas- alguns artistas se superando e fazendo verdadeiras obras de arte que marcaram o ano e deixaram também uma marca na carreira do artista e há também aqueles artistas que escorregaram na qualidade fazendo um som ok. Fizemos nosso balanço e estes são os álbuns que marcaram o ano de acordo com Noiseless Music

1. Sufjan Stevens- Carrie & Lowell

É sabido que Sufjan Stevens é versátil, e alguma surpresa sonora dele não é tão difícil assim. Voltando ao banjo e aos arranjos aparentemente simples, assim como as histórias, e aqui chegamos no tema central do álbum: inspirado em sua mãe, sua morte e o tempo que passou com ela e o padrasto Lowell nas férias em Oregon- Sufjan conseguiu colocar todos os seus sentimentos na canção- traduzidos em palavras e sons de modo que também sentimos um pouco a perda de Carrie.

Carrie-Lowell-608x608

2. Everything Everything- Get To Heaven

A banda de Manchester Everything Everything sempre fez um som que não é tão simples assim de entender. Com várias referências à história, cultura, além de metáforas bizarras e interessantes- a banda chama atenção não só pelas letras mas também pelos arranjos diferentes e experimentais. Músicas de destaque: “No Reptiles”, “Spring, Sun, Winter, Dread”, “Get To Heaven”, “Fortune 500”.

Everything-Everything-Get-To-Heaven

3. San Fermin- Jackrabbit

No segundo álbum da banda baroque pop, San Fermin flerta com o eletrônico e o sobrenatural e embora parece que as canções estão individualmente contando suas próprias histórias, uma interpretação paralela pode aparecer- todas ligadas com a faixa “The Wood” onde uma pessoa morre e outra vive. Arranjos complexos com direito aos metais na hora certa. Músicas de destaque: “Emily”, “Woods”, “Philosopher” e “Billy Bibbit”san-fermin-jackrabbit-

4. Joanna Newsom- Divers

Divers é um álbum conceitual, com o melhor de histórias narradas não só pelas palavras sábias e bem escolhidas de Newsom mas também pelo arranjo que consegue dosar bem os momentos mais aflitos e os momentos calmos- Harpas e pianos, Joanna pode não ter se afastando muito de Have One On Me– mas as histórias com certeza tomaram  mais corpo e profundidade. Músicas de destaque: “Divers”, “Leaving the City”, “Waltz of 101st Lightbourne”,  “Anecdotes”, “Time, As A Symptom”

JoannaNewsomDivers

5. Florence and The Machine- How Big, How Blue, How Beautiful

“Após terminar um namoro, a cantora se inspira em fazer um álbum” a frase não é tão incomum de se ouvir e vários álbuns bons foram produzidos com este tipo de inspiração, e com Florence and The Machine não foi diferente. Com várias e várias referências (entre elas, sim a água está lá presente, em quase todas as canções) Florence narra suas histórias, aflições e consolos no álbum- o álbum pode ser complexo em termos de letras, mas é muito pessoal e as canções tem arranjos mais variados sem deixar o jeito místico de lado. Músicas de destaque: “Ship To Wreck”, “What Kind of Man”, “Delilah”, “Long and Lost”

florence how big

Anúncios

Sobre samarasammy

A simple girl lost in thoughts and feelings- Graduated in Languages (Portuguese and English) and crazy to find new sounds.
Esse post foi publicado em Especial e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s